Pizza de chocolate ou doce. Qual é mais saudável?

Conheça as pizzas de chocolate e as doces, suas composições quanto aos ingredientes e os 10 passos para uma alimentação saudável segundo o Ministério da Saúde

» Página Inicial


Por Livia Ribeiro Silva - Nutricionista (CRN 7333)

As pizzas originalmente eram recheadas com alimentos salgados, a invenção de adicionar os diversos tipos de recheios doces veio somente mais tarde quando este prato já tinha caído no gosto do mundo. Por onde você viaje no globo é possível encontrar locais onde esses pratos são preparados, mas claro, cada local adaptou a seus costumes, gostos e temperos regionais.

Falando em dieta quando se menciona pizza e estamos seguindo religiosamente um cardápio com algumas restrições, chega a dar um frio na espinha de tanta vontade de abocanhar nem que seja metade de uma fatia. Tanto para a massa quanto para os recheios é possível realizar alterações e substituições nos ingredientes para deixar esta preparação menos calórica e manter a dieta em dia.

Mas ninguém é de ferro não é mesmo? Uma escapadinha de vez em quando e comer aquilo que se tem desejo, ou para acompanhar os amigos, namorado ou alguém da família também é extremamente saudável. Não se deve ser escravo da dieta. Quando comer uma pizza de chocolate ou alguma pizza doce não se culpe, apenas curta aquele momento, aprecie o sabor, o aroma e a aparência. E seja feliz.

Pizza Chocolate

Entre as pizzas doces encontramos diversos tipos e sabores e ingredientes variados como:

Lembrando que sempre devemos ter hábitos saudáveis, como a pratica de atividade física regular, adequar o consumo de líquidos e água, ter o costume de se alimentar com alimentos mais naturais, controlar o uso do sal e o uso do açúcar.

Seguem os 10 passos para uma alimentação saudável segundo o Ministério da Saúde:

  1. Faça pelo menos três refeições (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches saudáveis por dia. Não pule as refeições.
  2. Inclua diariamente seis porções do grupo de cereais (arroz, milho, trigo, pães e massas), tubérculos como as batatas e raízes como a mandioca/macaxeira/aipim nas refeições . Dê preferência aos grãos integrais e na sua forma mais natural.
  3. Coma diariamente três porções de legumes e verduras como parte das refeições e três porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.
  4. Coma feijão com arroz todos os dias, ou pelo menos cinco vezes por semana.
  5. Consuma diariamente três porções de leite e derivados e uma porção de carne, peixes, aves ou ovos. Retire a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação.
  6. Consuma, no máximo, uma porção por dia de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina. Fique atento ao rotulo dos alimentos e evite aqueles com gordura trans.
  7. Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas doces e outras guloseimas como regra da alimentação.
  8. Diminua a qualidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa. Evite consumir alimentos industrializados com muito sal (sódio) como hambúrguer, charque, salsicha, linguiça, presunto, salgadinhos, conservas vegetais, sopas, molhos e temperos prontos.
  9. Beba pelo menos dois litros (seis a oito copos) de água por dia.
  10. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias, e evite o consumo de bebidas alcoólicas e o fumo. Mantenha o peso dentro dos limites saudáveis.


 

Veja também



© 2018   |   Alimentação Legal: Conteúdo produzido por nutricionistas e entusiastas   |   Política de Privacidade