O que são alimentos transgênicos. Prós e contras

Perguntas e respostas sobre o que são alimentos transgênicos. O que são e onde existem? Existe regulamentação para os transgênicos no Brasil? Veja as respostas a essas e outras perguntas sobre o assunto.

» Página Inicial

Alimentos transgênicos são aqueles que contêm, além de seus genes normais, um gene de outro organismo inserido em seu DNA por manipulação genética. Esse gene de interesse pode ser de outra espécie de planta, de uma bactéria, um vírus ou mesmo um animal.

Como exemplo, o tomate conhecido como Flavr-Savr, que apresenta o amadurecimento retardado, e o milho resistente a insetos.

Para introduzir na planta uma característica desejada que originalmente ela não possua, com a finalidade de aumentar a produtividade da planta ou a qualidade do produto alimentício.

A maioria das plantas transgênicas produzida adquiriu características de resistência a vírus, fungos, herbicidas e insetos ou aumentaram a qualidade de seus produtos comercializáveis.

Quais as vantagens da produção de plantas transgênicas?

alimentos genéticamente modificados

O método biotecnológico de transgênicos quebrou a barreira natural entre espécies sexualmente incompatíveis, permitindo a identificação e o isolamento do gene de outra espécie e sua introdução na planta.

Além disto, permite a identificação, o isolamento e a manipulação de um ou poucos genes específicos, permitindo a produção de uma nova planta (cultivar) mais rapidamente do que no método de melhoramento convencional.

A possibilidade de “criar plantas” resistentes a pragas e a herbicidas é um grande passo da engenharia genética e traz benefícios por ter maior produtividade e também lucratividade para os produtores.

Esses alimentos são seguros?

Teoricamente sim. Todas as culturas transgênicas seguem os padrões internacionais de Biossegurança, desde as pesquisas em laboratório, a liberação em campo devidamente planejada até a comercialização dos alimentos e sementes transgênicas.

As plantas são inicialmente produzidas por técnicas de cultura de tecidos sob condições controladas de laboratório. Somente após cuidadosas análises preliminares, as plantas transgênicas são avaliadas em condições de casa de vegetação. Seguem-se os testes de campo em locais afastados e regulamentados.

Apesar do domínio da técnica pela ciência, todo o processo requer o controle de possíveis riscos em geral e ao meio ambiente.

Há contudo, muitas críticas a esse tipo de produção de alimentos e por ser uma técnica muito nova ainda não é possível estabelecer uma relação de causa e efeito. Mas é sem dúvida um assunto um tanto quanto polêmico e que requer muita atenção, bem como uma discussão mais profunda sobre o assunto.

Quais desses alimentos estão disponíveis para o consumo?

Entre as plantas geneticamente modificadas, estão aquelas de grande importância para a alimentação humana, como o milho resistente a insetos, a soja tolerante a herbicida, o amendoim e o girassol com redução no teor de óleo saturado, entre tantas outras.

Existe regulamentação para os transgênicos no Brasil?

Sim. A Lei de Biossegurança e seu Decreto estabelecem e impõem as condições de segurança para as pesquisas na área biotecnológica (Lei de Segurança 8.974/1995, Decreto 1.752/1995). A Lei de Biossegurança criou o CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), responsável no país por regulamentar o uso e a liberação de Organismos Geneticamente Modificados (ONGs), desde os testes iniciais em laboratório até a sua comercialização.



 

Veja também



© 2018   |   Alimentação Legal: Conteúdo produzido por nutricionistas   |   Política de Privacidade