O que observar para se alimentar fora do lar? Como saber se um produto é de qualidade?

Alimentação fora de casa. O que observar sobre a qualidade do que é servido? Veja esta análise bem humorada da nutricionista sobre esse importante assunto.

» Página Inicial


Atire a primeira pedra aquela pessoa que nunca comeu fora de casa. Seja em um restaurante, padaria, lanchonete, barzinho, na casa de um amigo. Aliás, são diversos os locais onde podemos nos alimentar. E você já teve ter tido algum problema com a comida, seja uma azia, uma dor de barriga nem que seja um mal estar depois de comer em algum lugar. E você sabia que esses desarranjos nem sempre são por causa do alimento em si, mas da forma como ele foi feito, ou armazenado? Ou seja, estamos falando da qualidade desse alimento.

Para uma contaminação alimentar não necessariamente o alimento apresenta as características que está com problemas, como cheiro ruim ou cor desagradável. É exatamente aí que mora o perigo. Como se precaver se um alimento pode me fazer mal?

Alguns fatores podem ser observados no local onde você vai se alimentar, como a higiene, a aparência das pessoas que manipulam os alimentos, a estrutura do local, a presença de animais, a organização.

Ambiente

Restaurante

Para começar o ambiente onde são servidos os alimentos deve ser livre de moscas, mosquitos, ratos, baratas ou qualquer outro animal. Os banheiros não devem ter ligação direta onde é feita a manipulação dos alimentos. O local deve estar limpo, organizado, sem que haja a mistura de alimentos com produtos de limpeza ou outros químicos.

O lado externo do estabelecimento não deve conter esgoto a céu aberto, ou a presença de pragas (se tem do lado de fora, dentro do estabelecimento é a festa!)

As paredes e o teto não podem ter mofo, ou sujeiras, e as mesas devem estar organizadas e limpas.

Atendentes

Garçon

As pessoas que nos servem os alimentos, ou que prepara nossos alimentos devem ter alguns cuidados pessoais. Lógico que devem estar com as mãos limpas, higienizando-as com água, sabão e algum anti-séptico. Mas isso é muito difícil de nós consumidores avaliarmos. O que precisamos verificar é o uso de adornos (alianças, anéis, pulseiras, relógios, brincos, colares, piercing, etc), ao utilizar esses itens corremos o risco de intoxicação alimentar, pois a ação de lavar as mãos não será tão eficiente com a presença desses adornos, e outra, vai que durante o preparo dos alimentos uma dessas coisas se solte do corpo da pessoa e vá direto para o seu prato. Se for um brinco, vai que a gente se engasgue.

A roupa de quem nos atende ou prepara nossos alimentos deve estar limpa, pois a sujeira por si já transmite bactérias e também nos demonstra que aquele local realmente preza pelos cuidados higiênicos.

Agora é sério, tem coisa mais desagradável do que estar comendo um prato apetitoso, e do nada aparece aquele cabelão no meio da sua comida? Sinceramente, a touca existe justamente pra isso, pra evitar a cabeleira como tempero. Sem contar que nossos cabelos também carregam bactérias.

Outra coisa que observo muito é o uso de esmalte, quem faz nosso alimento não pode utilizar as unhas esmaltadas, pois pode nos causar contaminação química, e, além disso, não deixa a gente observar se debaixo das unhas da criatura está limpinha. Prefiro deixar pra comer depois, quando aparece uma pecinha rara dessa.

Tem aqueles atendentes que tem uma coceirinha crônica nos cabelos e no nariz, então é melhor evitar aquele lugar que tem esses serzinhos. Nem preciso falar o motivo, não é mesmo? E eu tenho uma filosofia, se coça nariz na minha frente, com certeza coça o bumbum longe das minhas vistas.

Equipamentos

Mesa restaurante

Gente os equipamentos dentro e fora de uma cozinha servem para facilitar o trabalho das pessoas que trabalham com os alimentos, além disso, servem também para que os alimentos conservem suas características e não ofereçam risco a nossa saúde.

Até hoje eu nunca entendi o motivo que alguns restaurantes deixam seus balcões desligados. Gente, aqueles balcões não é só pra manter a comida quente ou as saladas frias. Aquilo ali serve pra não ter a infestação de bactérias crescendo descontroladamente. Os alimentos quentes (arroz, feijão, carnes, purês, refogados, cozidos, salteados, etc) devem ser conservados a no mínimo a 65 ºC, abaixo disso corremos o risco de contrair alguma doença intestinal. Já para os alimentos frios (saladas, maionese, doces, etc) deve estar abaixo de 10º C.

A condicional tempo e temperatura são primordiais então aconselho a verificar se os balcões e estufas estão ligados.

Por que ter esses cuidados

Brinquei bastante com vocês, mas o assunto é bem sério são 582 milhões de casos registrados de doenças causadas por intoxicação por alimentos ao ano. Não estamos contando aqueles casos que não foram registrados, como aqueles que se auto medicam em casa mesmo, ou esperam os sintomas desaparecerem. E o que mais é impressionante é que 38% dos casos acontecem nos lares. Cerca de 350.000 pessoas no mundo morrem devido ao consumo de alimentos inadequados. A contaminação de alimentos causa mais de 200 tipos de doenças deste as diarreias até o câncer.


 

Veja também



© 2018   |   Alimentação Legal: Conteúdo produzido por nutricionistas e entusiastas   |   Política de Privacidade