Ingestão de café no período gestacional e seus possíveis impactos

Abortos espontâneos, malformações congênitas, baixo peso ao nascer, restrição do crescimento intrauterino e redução do crescimento fetal. Problemas de consumo excessivo de café por gestantes

» Página Inicial

Um dos principais componentes químicos do café é a cafeína, alcaloide farmacologicamente ativo que atua diretamente no sistema nervoso central. Além do café, diversos outros produtos que consumimos no dia a dia possuem cafeína, podemos citar os refrigerantes a base de cola, cacau, chocolates, alguns chás e medicamentos analgésicos e inibidores de apetite.

Gestante ingestão de café

Diversos estudos vêm tentando elucidar a associação do consumo excessivo de cafeína e os seus efeitos durante o período gestacional, grande parte dos resultados de inúmeros estudos científicos apresentam resultados conflituosos não havendo, até o momento, uma verdade absoluta. Os possíveis impactos na saúde do bebê por um consumo excessivo de café e outros produtos que tenham cafeína são:

  • Abortos espontâneos;
  • Malformações congênitas;
  • Baixo peso ao nascer;
  • Restrição do crescimento intrauterino;
  • Redução do crescimento fetal.

A gestante deve evitar o consumo excessivo de café, por aumentar a secreção gástrica e a incidência de refluxo.

Segundo a FDA- Administração de Alimentos e Drogas, a recomendação da ingestão de cafeína pelas gestantes não pode ultrapassar de 200 mg diariamente, que corresponde a três xícaras de café por dia. O consumo dentro dessa faixa não oferece riscos à saúde do bebê.

Fique atento aos seguintes detalhes importantes:

  • O consumo de café não é contraindicado no período gestacional, diante dos resultados de diversos estudos, entretanto é imposto um limite para assegurar a saúde do bebê.
  • Durante o período de amamentação, deve-se evitar o consumo exagerado de cafeína. Uma vez que a cafeína vai estar presente no leite materno e impactando o comportamento do bebê, podendo deixá-lo mais agitado.

É importante saber:

  • O consumo consciente e moderado de café é uma ótima fonte de antioxidantes, contribuindo para a redução de doenças cardiovasculares e outras doenças inflamatórias, ajudando a combater o estresse oxidativo das células. Se destaca por ser fonte de Niacina, Tiamina e Riboflavina que são vitaminas do complexo B.

Dica para a gestante que não abre mão de um cafezinho:

  • Outro ótimo substituto do café, para as gestantes que não abrem mão dessa bebida, são os cafés descafeinados, o café passa por um processo onde é retirado aproximadamente 97% da cafeína.
  • Sempre que tomar o café, evite adoçá-lo com açúcar. Além de deixa-lo calórico, pode influenciar na ação antioxidante do café.
  • Evite o consumo de café pela tarde ou noite, a cafeína pode afetar seu sono e outros processos fisiológicos. É importante que no período da amamentação a mãe tenha noites de sono tranquila para a lactação.

Rogério Prado (Discente do curso de Nutrição-UFV)



 

Veja também



© 2018   |   Alimentação Legal: Conteúdo produzido por nutricionistas   |   Política de Privacidade